Sábado, 12 de Abril de 2014
Você sabia que é possível recuperar das dependências?

 

Sabia que:

O individuo dependente de drogas, incluindo o álcool, gradualmente sofre alterações neurobiológicas, associado às estruturas do cérebro responsáveis pela recompensa e prazer como consequência do consumo frequente de substâncias psicoactivas. Estas alterações são responsáveis pelo craving (vontade irresistível e intensa em voltar a consumir a droga de escolha) incapacitando o individuo de se manter abstinente.

 

Muitos indivíduos dependentes de drogas, incluindo o álcool, tentaram inúmeras vezes interromper e parar o abuso das substâncias psicoactivas do Sistema Nervoso Central, que podemos designar «tentativas caseiras» sem apoio profissional. Alguns são bem sucedidos, outros não, todavia segundo alguns estudos nos EUA, revelam que a grande maioria dos indivíduos que fizeram essas tentativas (caseiras) não conseguiram permanecer em abstinência durante longos períodos de tempo.

Um dos sintomas mais comuns associados ao abuso e à dependência de drogas, incluindo o álcool, e o jogo é:

1. Drogas: continuar a usar e a justificar apesar das consequências negativas, "É só mais uma vez..."

2. Álcool: continuar a beber e a justificar, apesar das consequências negativas, "É só mais um copo..."

3. Jogo: continuar a jogar e a justificar o comportamento problemático apesar das consequências negativas, "Vou jogar mais uma vez, para recuperar o dinheiro perdido."

 

Enquanto a dependência das substâncias psicoactivas e/ou do comportamento não forem contempladas no tratamento a tendência é para que os sintomas se agravem cada vez mais. Segundo a Associação Americana da Medicina da Adicção a adicção é uma doença crónica.

 

Sabia que a dependência de drogas, incluindo o álcool, afecta as competências cognitivas do individuo. Uma das mais comuns identificadas em dependentes é o pensamento rígido - "tudo ou nada". Algumas afirmações mais comuns por indivíduos depndentes: "Se não for à minha maneira, não quero." ou "Eu é que sei, sou assim e ninguém tem nada com isso." ou "Como não sou capaz de deixar o vicio das drogas/do álcool, sou um falhado."

 

Um dos mitos sobre o consumo de cocaína, está associado à inexistência da dependência física desta substância psicoactiva, isto é, as pessoas pensam erradamente, visto não existirem sintomas físicos, não ficar dependentes. Na verdade, de acordo com a minha experiencia profissional, o consumo de cocaína, numa perspectiva social, poderá estar na origem de vários problemas, e em ultimo caso, na dependência.

 

Quando a família se confronta com um dos membros, com problemas de drogas ilícitas e/ou jogo, sofre um grande choque, pode ser de tal forma traumático, que a tendência pode ser negar as evidencias. Todavia, negar não é a abordagem mais apropriada. Qual será a abordagem mais eficiente? Se pretende saber a resposta a esta questão envie um email para joaoalexx@sapo.pt



publicado por João Alexandre Rodrigues às 20:16
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Sábado, 5 de Abril de 2014
REEL Recovery Film Festival


publicado por João Alexandre Rodrigues às 19:20
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 28 de Março de 2014
Como é que posso mudar o meu parceiro?

 

 

Relacionamentos de intimidade e a adicção: Como é que posso mudar o meu parceiro que está doente? Não pode, mas pode mudar o seu comportamento e as dinâmicas da relação.

 

Ao contrário daquilo que se pode pensar, a maior grande parte dos indivíduos dependentes de substâncias psicoactivas, lícitas e/ou ilícitas, vulgo drogas, ou comportamentos adictivos, por exemplo, jogadores compulsivos e adictos ao sexo não são pessoas que vivem isolados da sociedade, não são sem-abrigo, não estão todos hospitalizados ou internados em centros de tratamento, pelo contrário, têm as suas esposas/maridos, famílias e filhos, carreiras profissionais, e apesar do estigma e da negação, são indivíduos activos no trabalho e mais ou menos integrados na sociedade. Por falta de informação sobre a adicção e o impacto na família e na comunidade (sociedade) temos a tendência para negar as evidências; as coisas têm o valor que nós decidimos que elas tenham.

 

São homens e mulheres adictos que têm os seus parceiros; namorados/as ou esposas/maridos. Na maioria dos casos, as esposas/maridos e/ou namorados/as sabem da existência do problema no parceiro/a, ou pelo menos, apesar de falta de conhecimento ou informação, têm a consciência de que algo não está bem e que é preciso mudar. Infelizmente, devido à complexidade dos relacionamentos e da adicção não sabem como faze-lo, por causa de vários factores. Um deles é gerarem vínculos que reforçam os seus papéis de zeladores e cuidadores. Isto é, assumem o poder e a responsabilidade de zelar pelo parceiro/a. Eles e elas adaptam as suas rotinas do dia-a-dia às vicissitudes e à adversidade (comportamento problema) relacionada com o impacto da adicção na relação, vivendo num estado eminente de ambivalência, alerta e preocupação. Afinal, no universo das relações, quem é que não tem problemas sobre o comportamento do marido? Da esposa? Do namorado? Da namorada? Todos nós. Contudo, nesta situação especifica da adicção, o problema, para além de se agravar e afectar gravemente os afectos, paradoxalmente, também pode ser atenuado, compreendido e/ou resolvido. A questão é: Como.

 

Leia com atenção e responda a estas três questões:

1. Você tem um relacionamento com uma pessoa dependente de drogas? Ou álcool? Ou Jogo compulsivo? Ou adicção ao sexo? Se a resposta é sim, reflicta sobre estas questões:

 Você castiga a pessoa dependente? Por exemplo, você grita (explosões irracionais de raiva e ressentimento), ridiculariza, ameaça, humilha em frente aos filhos, à família e às outras pessoas. 

Faz questão de dizer às outras pessoas que o seu familiar/parceiro/a dependente é um/a falhado/a.

Ignora (longos períodos de silêncio e indiferença) a pessoa dependente. Faz frequentemente ameaças que o/a vai deixar de uma vez por todas.

 

 



publicado por João Alexandre Rodrigues às 19:21
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Domingo, 23 de Março de 2014
Being rich is not... veja o video


"Being rich is not about how much you have but how much you can give"


publicado por João Alexandre Rodrigues às 23:19
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Sábado, 15 de Março de 2014
O «Vicio» de drogas, incluindo o álcool, é uma doença; não é uma escolha individual

10 Questões importantes para reflectir sobre as dependências de drogas, incluindo o álcool, e o jogo patológico.

 

1. De acordo com estimativas das Nações Unidas (United Nations Office on Drugs and Crime - UNODC) existem mais de 10 milhões de pessoas dependentes de heroína no mundo. Em cada 1.000 consumidores de heroína, 2,6 morrem, por exemplo, de overdose. A heroína é uma substancia psicoactiva extremamente adictiva.

 

2. Sabia que o abuso de drogas, incluindo o álcool, distorce a percepção da realidade. As pessoas podem revelar-se irracionais, excêntricas e excessivamente desinibidas. Em alguns casos, podem revelar-se violentas.

 

3. Associado ao abuso e à dependência de drogas, incluindo o álcool, o individuo é sujeito à oscilação acentuada das suas emoções que podem variar entre o ódio e a euforia, do entusiasmo à apatia. Por exemplo, é frequente o individuo dependente, estar triste e apático, e ao consumir drogas, incluindo o alcool, proporciona a si mesmo uma sensação de felicidade, apesar de ser efémera.

 

4. Para um individuo dependente de drogas, incluindo o alcool, e o jogo patológico revela-se extremamente difícil ter a percepção sobre os efeitos e as consequências negativas dos seus comportamentos. A dependência é a causadora da maioria dos fracassos e da frustração tornando assim a vida insuportável e em alguns casos mais extremos pode revelar-se caótica. Quanto mais dificuldades, maior será a necessidade de recorrer ao comportamento problemático associado às dependências – abusar de drogas, incluindo o álcool, e/ou jogo patológico.

 

5. No início do consumo de drogas ilícitas, estas intensificam a actividade; mais concentração, mais desinibição, bem-estar e alívio. Gradualmente, na dependência as drogas suprimem a actividade; menos concentração e perda de memória, mais desadequação e constrangimento, desconforto físico e psicológico.

 

6. Dependência de drogas incluindo o alcool.

Você sofre da síndrome de abstinência, vulgo ressaca?

Os sintomas de ressaca surgem quando o individuo abusa das substâncias psicoactivas, do sistema nervoso central até à intoxicação. Os sintomas da ressaca estão associados à frequência, à intensidade e à duração do abuso das drogas, incluindo o álcool.

 

7. Benzodiazepinas: medicamentos tranquilizantes e/ou ansiolíticos sujeitos a receita medica. São substâncias que geram dependência física e psíquica. Caso o abuso seja continuado, a interrupção abrupta representa um risco grave para a saúde. Algumas pessoas dependentes de benzodiazepinas são também dependentes de álcool e/ou outras drogas ilícitas (adicção cruzada) - uso concomitante de substâncias.

 

8. Sabe o que são os analgésicos? São drogas poderosas que interferem com a transmissão de sinais eléctricos do sistema nervoso central pela qual entendemos e percebemos a dor. A maioria dos analgésicos estimula as partes do cérebro associadas ao prazer. Se toma medicação siga a prescrição do seu médico. Não faça auto medicação.

 

9. Alguns efeitos do abuso do álcool e/ou dependência: descoordenação motora, perda da concentração e da memória, danos cerebrais, depressão e doenças do fígado (cancro). O abuso do álcool e a dependência afectam seriamente as relações pessoais; família, trabalho, sociais.

 

10. A dependência de drogas, incluindo o álcool, e o jogo afectam seriamente o desempenho e os relacionamentos profissionais; abstenção laboral, perda de memória e concentração, negligencia, falta de ética profissional, conflitos com colegas e entidade patronal.



publicado por João Alexandre Rodrigues às 19:05
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Acerca de mim
João Alexandre Rodrigues
Conselheiro de Comportamentos Adictivos (Addiction Counselor - Art of Counseling) desde 1993. Conselheiro Certificado em Abuso de Drogas e Álcool. Formação em Inglaterra (Farm Place e Broadway Lodge) e EUA (Hazelden Foundation).

Marcação directa de consultas: Tm 91 488 5546
Envie a sua questão
Consultas Online
Sabia que para Recuperar das Dependencias pode fazê-lo atraves das consultas online e assim evitar confusões de transito, perda de tempo em viagens e despesas extras? Se optar por esta modalidade pode enviar um email para joaoalexx@sapo.pt e solicitar toda informação. Estou disponivel para ajudar.
Gosto
Facebook
Perfil de Joao Alexandre Rodrigues
Perfil no Facebook de Joao Alexandre Rodrigues
Create Your Badge
Networking - Partilhe
Bookmark and Share
Twitter
Pesquisar neste blog
 
Publicação sem copyright
Estas publicações não têm copyright. Incentivo a sua utilização, reprodução e tradução sem necessidade de autorização sempre que a mesma seja efectuada sem lucro. Agradeço, no entanto, que mencione a fonte.
Viver no aqui-e-agora
Acreditar é dar autoridade a si próprio, para tomar as decisões que você entender; coerentes com as suas convicções. Acreditar é ter medo, mas é a fé que guia as decisões. Dê legitimidade aos seus actos acreditando nos seus talentos.
Visitas
Subscrever feeds
Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


Você sabia que é possível...

REEL Recovery Film Festiv...

Como é que posso mudar o ...

Being rich is not... veja...

O «Vicio» de drogas, incl...

O jogo problemático é um ...

A adicção não é um vírus

Dr David J. Powell, um et...

28ª Dica Arte Bem-Viver, ...

Boas Festas 2013

Arquivos

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Temas

12 passos

a criança interior

abstinência

aconselhamento

adicção

adicção ao jogo

adicção ao jogo patológico

adicção ao jogo patologico

adicção ao sexo

adicção às compras

alcoolismo

alimentação

alimento para o pensamento

ansiedade

aparência física

aparência fisica

arte

assertividade

atitudes e comportamentos

auto estima

codependência

comunicação

comunidade

controlo

crianças

cultura

dependência ao tabaco

dependencia ao tabaco

dependência emocional / relacionamentos

dependencia emocional / relacionamentos

dependência emocional/relacionamentos

dependência financeira

dependências

dependencias

dependências mulher

desporto

distúrbio alimentar

doença

doze passos

drogas

emprego

entrega

espiritualidade

família

familias

forum - drogas

forum - jogo patológico

gestão das emoções

gestão do stress

gratidão

hepatite c

honestidade

intervenção

intimidade

investigação

jogo patológico

jovens

lidar com a raiva

lidar com a vergonha

lidar com a vergonha tóxica

lidar com a vergonha toxica

limites

linguagem dos afectos

luto

medicação

meditação

mudança

mulher

natal

negação

nicotina

partilha

pessoas especiais

prevenção da recaída

programa apoio empresas

recuperação

recuperação das dependências

recuperação das dependencias

recuperação das substâncias

recuperação das substancias

reflexão

regra do silêncio

relações

rendição

resiliência

ressentimento

retiro espiritual

sentimentos

shoplifting

sociedade

stress

tratamento das dependências

tratamento das dependencias

vergonha

vergonha tóxica

vergonha toxica

vida

vih

vozes

workaholism

todas as tags

blogs SAPO
Links