Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Recuperar das Dependências (Adicção)

Contra o estigma, a negação e a vergonha associados aos comportamentos adictivos. O silêncio não é seguramente a melhor opção para a recuperação; ninguém recupera sozinho.

Recuperar das Dependências (Adicção)

Contra o estigma, a negação e a vergonha associados aos comportamentos adictivos. O silêncio não é seguramente a melhor opção para a recuperação; ninguém recupera sozinho.

Fases de recuperação através da abstinência - drogas

Ao longo dos anos tenho observado indivíduos dependentes de substâncias psico activas / adictivas, lícitas, incluindo o alcool, e/ou ilícitas que são admitidos em tratamento, quer seja em regime residencial de internamento ou através das consultas tradicionais presenciais (terapia individual), e ao mesmo tempo, também acompanho individuos que permanecem abstinentes, como parte do seu programa de recuperação duradoura, a que apelido de mudança de estilo de vida (M.E.V.) através de princípios espirituais - não religioso, sem dogmas e divindades - que promovem o conhecimento interior das suas emoções, auto-conceito, competências e talentos, e uma conexão emocional com os outros e o mundo a sua volta (integração activa na sociedade).


Após a admissão em tratamento, em regime residencial de internamento,  é iniciada a primeira fase (crucial) - interrupção do consumo de substâncias psicoactivas (auto-medicação de drogas, incluindo o álcool) geradoras de problemas e consequências negativas, ex. perda do controlo dos seus comportamentos, problemas de saúde e familiares, legais e profissionais. Para alguém dependente de drogas, incluindo o álcool, este “passo” é realmente assustador.

A síndrome da Abstinência (Ressaca - dor/sofrimento físico e psicológico) dura aproximadamente entre 15 a 30 dias, cada caso um caso. Hoje em dia, o sofrimento é mitigado por outras drogas lícitas, receitadas por médicos, que permitem ao indivíduo o desmame gradual das substâncias psicoactivas/adictivas até ficar abstinente - “limpo”.

Existem porém casos excepcionais de indivíduos que por um conjunto de razões/sintomas clínicos necessitam de recursos extra e mais prolongados (medicação - monitorizada pelo medico) a fim de permanecerem compensados e estáveis de forma a conseguirem assimilar e aderir ao programa de tratamento. Muitos destes casos, podem estar relacionados com as consequências da dependência das drogas (ex. neuroquímica do cérebro).
 

  • Fase Sindroma de Abstinência (Ressaca) 0 – 15 dias de abstinência

Alguns sintomas físicos e psicológicos: Cansaço, vómitos, vontade em usar drogas, incluindo o álcool (nesta fase, conheci indivíduos que ingeriram “aftershave” e álcool puro), pesadelos, suores frios, insónia, irritabilidade, deprimido, angustia e ansiedade, alterações extremas do humor, redução do apetite, dificuldade no raciocínio, na concentração e memória, dores de cabeça, perda do controle dos seus comportamentos (impulsos), atitude negativa e baixa resistência física á dor,

Nota: Observei indivíduos, em tratamento, descompensados psicologicamente, que apresentaram alguns destes sintomas, sem que o seu problema estivesse relacionado com drogas (ex. comportamento compulsivo ao sexo).

 

  • Fase da “Lua-de-mel” 16 - 45 dias de abstinência

Alguns Sintomas: “Andar na lua”, euforia, super-confiante - “Está tudo bem…Sinto bem”, Conseguiu ultrapassar a ressaca - sinonimo de dor e sofrimento vs. alivio. Demasiado optimista, negação e ambivalência, o aidcto interrompeu a compulsividade associado aos consumos, e nesta fase pensa que agora já consegue consumir drogas ou álcool de uma forma controlada, conhece outras pessoas que têm o desejo de parar de usar drogas, aprende que a adicção às substâncias psicoactivas é uma doença.
 

 

 

  • Fase “Barreira”/”Obstáculo” 46 - 120 dias de abstinência

Alguns Sintomas: depressivo, isolamento, ideações suicidas, ansiedade, negação, assumir pequenos compromissos para a mudança de comportamentos, recuperação física estável, confronto com a realidade e consequências negativas da adicção, flashbacks, novas amizades, surgem as duvidas e receios (reservas/negociação) quanto a manter-se abstinente de drogas incluindo o álcool e os canabinoides (haxixe e a erva) - “Afinal, até não fazem mal a ninguém…”.

 

Desejo ou comportamento impulsivo para voltar a consumir drogas, incluindo o álcool e cocaína, reaprender a gostar de si próprio, apatia e aborrecimento, frustração e desapontado consigo (ex. vergonha e sentimento de culpa), irritabilidade e intolerância, perigo de recaída e abandonar o programa de tratamento/recuperação contra a opinião da família e profissionais, baixa auto-estima, confusão e pessimismo, raiva e ressentimento, vulnerabilidade emocionalmente, reconhecimento das responsabilidades, procura de “recompensas” e em agradar às outras pessoas.

Desonestidade, reaprende a relacionar-se em grupo/comunidade - interagir com os seus pares, desinteresse, disfunção sexual ou desenvolver relações românticas e/ou sexuais como forma de se alienar da sua realidade (acting-out[i]), adquire a capacidade de raciocinar com clareza, restabelecer relacionamentos saudáveis e com limites, os medos do futuro “desconhecido” são menos intensos, inicia a esperança de uma vida saudável, refeições regulares, hábitos de sono saudáveis “recompensador

 

  • Adaptação vs. Ambivalência 121 a 180 dias / 4 a 6 meses de abstinência

Comportamentos mais Comuns: Retorna a situações de alto risco, redução da percepção do perigo de deslize - reduz os comportamentos que promovem a abstinência/recuperação.


Área cognitiva: Redução da frequência e intensidade nos pensamentos e vontades de usar (ex. cocaína). Pensamento positivo e realista. Desenvolvimento de novos interesses. Questiona: “Afinal, o que é a Adicção?"
 

Sintomas emocionais: Redução da depressão (tristeza), da ansiedade e da irritabilidade todavia continua aborrecido e tendência para o isolamento.
 

Relacionamentos Afectivos e Românticos: Os problemas antigos da relação re-emergem. Envolvimento em relacionamentos disfuncionais (sem limites saudáveis ou valores - acting out e recaídas). Resiste ao apoio/ajuda a resolver os problemas na relação.

  • Fase da Reabilitação 180 dias (6 meses abstinência)

Comportamentos mais Comuns: Surgimento de comportamentos impulsivos – excesso de trabalho, ganhar dinheiro (ostentação, insegurança emocional, aprovação social ou familiar), sexo (ex. prostituição, masturbação, pornografia) relações românticas disfuncionais (dependência emocional/Codependência), gastar dinheiro acima do orçamento mensal, jogo (ex, casinos, internet), alimentação (ex. ingestão compulsiva de alimentos, voracidade – “comer em cima dos sentimentos desconfortáveis” ansiedade e raiva), deslizes (usar álcool ou canabinoides - haxixe e erva).


Área Cognitiva: Questiona a necessidade de monitorização e apoio para a sua abstinência a longo-prazo. Novos ideais / valores emergem.


Sintomas emocionais: Conflito entre os princípios de recuperação vs. necessidade das relações ex. “Vive e deixar viver”, definir limites saudáveis, largar o controle e entregar.

  • Fase da Consolidação - “Arrumar o sótão” - Aplicação dos princpios de Recuperação – M.E.V.) 1º ano até ao 5º ano de abstinência

Nesta fase decisiva, o indivíduo “arruma o sótão” consolida os seus comportamentos/princípios, adquiridos à através da Abstinência/recuperação (MEV), a uma forma de estar na família, na comunidade e na sociedade - cidadão activo e consciente da sociedade. Identifica factores de risco e factores de protecção. Assuem o compromisso de monitorizar os comportamentos de risco e os comportamentos de proteção. Contraria o estigma imposto pela sociedade “Uma vez drogado ou alcoólico; drogado e alcoólico para sempre.” Integração activa na sociedade. Em alguns casos, alguns individuos estão disponiveis para ajudar outras pessoas com o mesmo problema de dependencias


Recaídas ocasionais (períodos de abuso de substância adictivas) após o inicio/primeiro ano de abstinência. Estes episódios fazem parte integrante deste processo de aprendizagem e desenvolvimento individual.


Confiança, auto-estima, a inter-ajuda, a honestidade são “ferramentas” básicas no dia-a-dia.
Aprende o que é a Adicção. Esperança num futuro “normal”.


A doença da adicção às substâncias adictivas (auto-medicação), está controlada, através da abstinência duradoura.

 

  • Fase da Recuperação (M.E.V.) 5º ano de abstinência até à “Eternidade”

Adopção de princípios espirituais, não religiosos sem dogmas e divindades, ajudando outros através de um novo modo de vida a iniciarem a sua jornada de recuperação (Grupos de Ajuda Mutua).


Viver segundo princípios espirituais, não religioso sem dogmas e divindades - Perdoar, renovar a Fé num Poder superior - seja Ele, Ela e/ouCoisanão castigador e não idolatrado pelos humanos, “peregrinação” - proposito e sentido - na busca de novos valores, crenças e decisões baseados na aceitação, na unidade (Nós vs Eu), na tolerância, solidariedade, na gratidão, na auto-realização, dar e receber, confiança e honestidade.


Surge um novo modo de vida, transparente e íntegro, sem segredos "tóxicos", a um nível único e sublime que alguma vez existiu e pensou possível viver. Alguns sonhos tornam-se realidade.


“Mais será revelado” e Recuperar é que esta a dar.


Nota: Algumas destas fases de recuperação adoptam-se a outros comportamentos adictivos. Gostaria de salientar que alguns indivíduos em recuperação de substâncias adictivas, lícitas, incluindo o alcool e as ilícitas, desenvolvem paralelamente, outros tipos de comportamento compulsivo (jogo patológico, dependência emocional nas relações, sexo, compras, distúrbios alimentares, actividade compulsiva no trabalho, etc.). Três areas a permanecer atento em recuperação - sexo, comida e dinheiro.

 


[i] Acting Out – termo utilizado para descrever comportamentos impulsivos/disfuncionais com base nas emoções e em crenças aprendidas ao longo da vida - “familiares”. Os individuos agem com base na gratificação imediata, no imediatismo, não pensam, agem. Este mecanismo pode ser inconsciente para o individuo assim boicotar os comportamentos sãos associados à qualidade de vida (recuperação).

 

51 comentários

Comentar post

Pág. 1/3