Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Recuperar das Dependências (Adicção)

Contra o estigma, a negação e a vergonha associados aos comportamentos adictivos. O silêncio não é seguramente a melhor opção para a recuperação; ninguém recupera sozinho.

Recuperar das Dependências (Adicção)

Contra o estigma, a negação e a vergonha associados aos comportamentos adictivos. O silêncio não é seguramente a melhor opção para a recuperação; ninguém recupera sozinho.

Trabalhar a Assertividade para a Vida


 

A oração da serenidade é uma abordagem espiritual, não religiosa sem dogmas e divindades, ao tema da ASSERTIVIDADE:
“Concedei-me Senhor, Serenidade para aceitar as coisas que não posso modificar, Coragem para modificar aquelas que posso, e Sabedoria para distinguir umas das outras .”


 


Na sua essência rogamos para discernir sobre pensamentos positivos que permitem comunicar e tomar decisões. Quando fazemos escolhas e tomamos decisões construtivas estamos a ser ASSERTIVOS e melhoramos os nossos relacionamentos.

Para a maioria de nós o medo distorce e sustenta algumas coisas que não gostamos; com a raiva reagimos e tomamos decisões precipitadas e as emoções limitam e condicionam as nossas decisões.

Características das Pessoas:
1. Falta de Assertividade e ou Passividade
A falta de assertividade é permitir que as outras pessoas nos tratem da maneira que entenderem sem que desafiemos aquilo que é dito ou feito. Significa fazer aquilo que as outras pessoas querem, apesar da nossa vontade ser diferente – ex. agradar aos outros, facilitar, encobrir, manipular."Porque dizemos sim, quando queremos dizer não?"

O problema na comunicação é evitado.

Os seus direitos legítimos são renunciados.

Os direitos dos outros são encarados como prioritários em relação aos seus. Isto cria um padrão no comportamento dos outros em relação a si fazendo com que eles beneficiem e tirem vantagem. Se voce pensar ”Se estiveres bem eu estou bem" ou "Se estiveres mal eu estou mal” está a negligenciar as suas necessidades

Permite que os outros avaliem e definem como você sente e pensa – “Não tem voto na matéria.

Permite que os outros escolham as suas actividades.
Os seus objectivos, no presente, são um dia alcançados – adiamento, vitimização e resignação. Os objectivos dos outros são mais importantes. “Esperar com os braços cruzados; à espera de um milagre.”

Nega e reprime a raiva e o ressentimento – minimiza e racionaliza os sentimentos desconfortáveis.

Na interacção com os outros, preocupa-se somente em respeitar os outros. Procura a aprovação e agradar.

Falta de confiança em si próprio. Baixa auto-estima.

Espera por favores e serviços.

2. Assertividade
Assertividade é pensar e agir em defesa dos seus próprios valores e direitos. É o acto que dá expressão aos seus próprios pensamentos, sentimentos e que define a sua própria perspectiva sem interferir nos direitos dos outros (autoconceito). É respeitar as ideias e os sentimentos dos outros.

O problema, na comunicação, é enfrentado, não "ataca" as pessoas.

Os seus direitos são reclamados e exigidos.

Reconhece os direitos dos outros tão importantes como os seus.

Define um “contracto”, baseado no respeito mutuo, no relacionamento com os outros quanto à forma como resolve e trata os assuntos – a sua palavra também tem "peso" na tomada de decisões. 
Permite que os outros saibam quais são os seus pensamentos e sentimentos.

Procurar soluções e atingir os seus objectivos.

Escolhe as suas próprias actividades e responsabiliza-se pelas suas emoções e comportamentos.

Lida com a raiva de uma forma construtiva.

Comunica com os outros com respeito. Respeita a sua palavra e a dos outros.

Confiança e Entrega (não controla).

Pede favores e serviços.

Agressividade
Agressividade é agir de acordo com aquilo que você quer não valorizando os direitos e sentimentos dos outros. Impõe a sua palavra, através da intimidação e é defensivo. A agressividade pode ser verbal e física.

Não confronta o problema, “ataca” a pessoa.

Os seus direitos são impostos e exigidos, acima dos direitos dos outros.

Os seus direitos são encarados como superiores (mais importantes) comparando com os direitos dos outros.

Define um “contracto” no relacionamento com os outros baseado no medo e na intimidação de forma a evitar que seja confrontado – adopta a máxima “A melhor defesa é o ataque.

Faz questão que os outros saibam aquilo que sente e responsabiliza os outros por isso.

Procura atingir só os seus objectivos.

Escolhe as suas actividades em primeiro lugar e depois as actividades dos outros.

Age na tua raiva – acting-out. Age com base na impulsividade.

Comunica com os outros procurando respeitar só “a sua palavra”.

Hostilidade e arrogância.

Exiges favores e serviços.
Componentes do comportamento verbal e não verbal 
1. Falta de Assertividade e Passividade: 
Verbal
: Demasiados pedidos de desculpa. Andar à volta das questões. Utilização de mentiras. Omissão dos factos. Incapacidade de “Ir direito ao assunto.” Confuso e incoerente, “ Mete os pés pelas mãos.” Dificuldade em encontrar palavras (argumentar). Incapacidade em verbalizar aquilo que realmente quer dizer.

Não-verbal : Recorre às palavras em vez dos actos. Desejoso que alguém adivinhe aquilo que quer ou “Está a pensar.” Aquilo que diz não é coerente com aquilo que faz.

2. Assertividade
Verbal
: Afirma e certifica-se em relação aquilo que quer. É honesto quando verbaliza os seus sentimentos.
É objectivo. “Vai direito ao assunto.”Afirmações directas e construtivas. “Diz aquilo que sente e pensa.”
Afirmações iniciadas com “Eu sinto...” em vez de "Tu és..."

Não-verbal : Ouvinte atento. Abordagem confiante e comunicação atenta e encorajadora. Bom líder.
3. Agressividade
Verbal
: Expressões utilizadas com “autoridade” e ou superioridade. Faz acusações. Descritivo e termos subjectivos - superficial e ilusório. Expressões de arrogância e dominador.
Frases iniciadas com “Tu és...” – mensagens com o objectivo de rotular, intimidar e culpabilizar.
Não-verbal : Tendência exagerada em se auto-valorizar. Sarcástico, Fútil e Superficial. “Ar de superioridade.”

Algumas noções de ASSERTIVIDADE
O comportamento Assertivo é muitas vezes confundido com o comportamento agressivo, todavia, ser assertivo não significa magoar os outros.

O comportamento Assertivo é uma forma de igualar a dinâmica de “poder” na relação entre as pessoas. Não significa “ganhar a batalha” ou “ficar por cima” colocando a outra pessoa para “baixo.”

O comportamento Assertivo significa a expressão legitima dos seus direitos como indivíduo. Tem o direito de exprimir as suas necessidades, os sentimentos e as suas ideias.

Lembre-se:
Os outras pessoas estão no seu direito de responder à sua assertividade com as ideias, necessidades e ideias diferentes (deles).

Uma relação baseada na Assertividade, com outra pessoa, pode envolver um “contracto” de compromisso que procure satisfazer ambas as partes.

Através de um comportamento Assertivo “abre-se um caminho” para relações honestas uns com os outros.

Um comportamento Assertivo não significa que o importante seja aquilo que é dito, mas sim, da forma como é dito.
Palavras ou expressões Assertivas acompanhadas de uma apropriada linguagem corporal torna a mensagem que quer passar mais clara e com mais impacto.

Uma linguagem corporal Assertiva significa que :
a) Manter contacto directo com o olhar (contacto visual).

b) Manter uma postura erecta.

c) Falar de uma forma compreensível e audível.

d) Certifique se que o tom de voz tem alguma qualidade (Não falar demasiado alto, nem demasiado baixo).

e) Utilizar expressões faciais e alguns gestos de forma a dar ênfase às tuas palavras.

f). O comportamento Assertivo é uma “ferramenta” (mais valia) que pode ser aprendida e mantida através de uma pratica frequente.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.