Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Recuperar das Dependências (Adicção)

Contra o estigma, a negação e a vergonha associados aos comportamentos adictivos. O silêncio não é seguramente a melhor opção para a recuperação; ninguém recupera sozinho.

Recuperar das Dependências (Adicção)

Contra o estigma, a negação e a vergonha associados aos comportamentos adictivos. O silêncio não é seguramente a melhor opção para a recuperação; ninguém recupera sozinho.

Descobertas recentes relacionadas com a dependência de substâncias

Segundo o Jornal de Notícias de 15/1/2008 cientistas chineses anunciaram a descoberta de 396 genes relacionados com a dependência de drogas como a cocaína, o ópio, a nicotina e álcool, o que pode abrir caminho para tratar o abuso dessas substâncias , informou a imprensa estatal chinesa.


A equipa de cientistas da Universidade de Pequim descobriu também a informação genética relacionada com dependência e identificou cinco trilhas biológicas comuns ao vicio nas quatro substâncias, segundo o jornal oficial chinês China Daily.

Comentário: Estas investigações revelam importantes avanços no diagnostico e tratamento da dependência (adicção) das substâncias psicoactivas lícitas, incluindo o alcool e a nicotina, e as ilícitas, nos indivíduos possibilitando um conhecimento mais alargado e profundo deste problema altamente complexo.
Saliento que a investigação cientifica (neurobiologia), bem como, todos os outros campos de conhecimento têm contribuído significativamente para o tratamento da adicção às drogas nestes últimos vinte anos. Todavia, os consumidores de “crack”, metanfetamina e cocaína, quando desejam sair da dependência, assim como os profissionais da área, são confrontados com a impotência visto não existir um tratamento (clinico; que proteja estes individuos contra o craving das drogas estimulantes – fixação/desejo intenso em usar) como existe para os opiáceos (ex. a heroina) e o álcool refiro-me por ex. aos antagonistas e à metadona.

Apesar dos grandes avanços na investigação, na minha opinião, não basta apenas a descoberta de um novo fármaco (milagroso) para acabar de vez com este flagelo que afecta tantas famílias, incluindo as crianças. A experiência empírica revela-nos que a “descoberta” da metadona e naltrexone não resolveu, e não resolve, o problema da heroina e do alcoolismo, atenua e reduz os danos associados ao consumo.

A adicção às drogas é um sistema complexo que carece mais do que apenas um fármaco “milagroso” para ser tratado na sua totalidade (corpo e mente). São necessarias pessoas (sociedade) determinadas, honestas e reslientes

Agradeço à Dra. Madalena Muñoz www.madalenamunoz.com ter contribuido com este artigo. Bem haja!

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.