Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Recuperar das Dependências (Adicção)

Contra o estigma, a negação e a vergonha associados aos comportamentos adictivos. O silêncio não é seguramente a melhor opção para a recuperação; ninguém recupera sozinho.

Recuperar das Dependências (Adicção)

Contra o estigma, a negação e a vergonha associados aos comportamentos adictivos. O silêncio não é seguramente a melhor opção para a recuperação; ninguém recupera sozinho.

Vale a pena recuperar das dependências (Adicção)?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

50 Razões pela qual você deve interromper a progressão dos comportamentos adictivos:

  • Drogas lícitas, incluindo o álcool, e/ou ilícitas,
  • Dependência emocional,
  • Distúrbio alimentar,
  • Sexo,
  • Jogo,
  • Compras,
  • Furto.
  1. Quebra o silêncio e o isolamento. Deixa de ter vida dupla, sem segredos e mentiras relacionados com a adicção.
  2. Assume o controlo da sua vida quebrando a negação, o estigma e a vergonha associados aos comportamentos adictivos.
  3. Aprende que a adicção é uma doença; não é uma fraqueza e não é um ato voluntario.
  4. Você participa na solução do problema, em vez de contribuir para o agravamento dos sintomas da adicção.
  5. Deixa de ser a “ovelha negra” da família e o centro dos problemas – “bode expiatório.”
  6. Interrompe a compulsão, da dependência de substâncias psicoativas lícitas, incluindo o álcool, e as ilícitas, através da abstinência.
  7. Programa de recuperação; plano e objetivos específicos de vida.
  8. Ao pedir ajuda profissional não está sozinho/a; quebra a solidão e a vergonha.
  9. Aprende a lidar, de uma forma construtiva, com os sentimentos dolorosos; raiva, dor, medo, ressentimento, vergonha e culpa.
  10. Adquire autonomia, mestria e propósito no rumo da vida.
  11. Relação saudável com colegas e empresa: faz parte da equipa; em vez de fazer parte dos problemas.
  12. Melhora a saúde física e mental.
  13. Faz mudanças significativas na sua vida: atitudes e comportamentos – você é o agente da mudança.
  14. Gestão construtiva dos recursos financeiros; poupanças, investimentos, etc.
  15. Melhora a performance e produtividade no trabalho ou faz mudanças na área profissional.
  16. Melhora a qualidade da relação com os colegas de trabalho e/ou patrão.
  17. “Deixa de cometer os mesmos erros à espera de resultados diferentes”.
  18. Estabelece relacionamentos saudáveis e positivos com as outras pessoas.
  19. Reconquista a dignidade e a auto estima afetada pelos comportamentos adictivos.
  20. Liberdade de escolha e decisão no rumo da sua vida (sair da zona de conforto).
  21. Faz planos realistas, cumpre e recompensa-se, em vez de fazer promessas infindáveis que não cumpre, que servem somente como álibi, desculpas e justificações.
  22. Liberta-se da auto piedade e pára de culpar os outros e o mundo à sua volta; responsabilização e respeito.
  23. Faz um serio investimento na sua vocação.
  24. Desenvolve relacionamento de intimidade, honestidade e compromisso com o seu parceiro/a.
  25. Desenvolve competências individuais e sociais; assertividade, gestão de emoções, estabelece limites, gere a impulsividade, gestão do stress, organiza atividades saudáveis (hobbies).
  26. É devolvido/a  à sanidade. Interrompe a logica adictiva (circulo de pensamentos que reforçam as crenças e padrões de comportamentos disfuncionais).
  27. Melhora o relacionamento com a família, incluindo as crianças.
  28. Vive um dia de cada vez.
  29. Adia o prazer imediato. Define critérios saudaveis e prioridades, no dia-a-dia.
  30. Aprende a sorrir, a divertir-se e a não se levar demasiado a sério.
  31. Trabalha as competências da comunicação na gestão dos conflitos; é assertivo. Não é passivo/a ou agressivo/a ou manipulador/a.
  32. Aprende que os ressentimentos do passado são fonte de aprendizagem em vez de serem fonte de descontentamento, remorso, ódio – ressentimentos de “estimação”.
  33. Identifica os efeitos negativos do perfecionismo e cria uma lógica construtiva e mais realista de acordo com as suas limitações e talentos.
  34. Desenvolve hábitos alimentares saudáveis e diversificados.
  35. Integra os paradoxos no seu devir, alterando paradigmas disfuncionais; as pessoas não são perfeitas, sofremos desilusões, mas também desiludimos os outros.
  36. Identifica as suas emoções e é honesto/a. Sentir é OK, não existem sentimentos certos e errados.
  37. Identifica as áreas de risco de deslize/recaída e os fatores de proteção – abstinência/recuperação. A recuperação é uma prioridade na sua vida.
  38.  Desenvolve e promove uma relação espiritual com uma entidade/algo superior, sem dogmas e ou divindades: conceito individual e livre (espiritualidade).
  39. Realiza alguns dos seus sonhos, todavia aprende a importância da persistência e da esperança; basta acreditar.
  40. Adota comportamentos saudáveis que reforçam e promovem a sua sexualidade e o sexo, sem mitos, preconceitos ou tabus.
  41. Desenvolve hábitos e comportamentos saudáveis com a alimentação, com o seu corpo e o seu peso.
  42. Aprende a definir limites nos relacionamentos de intimidade: existe o amor saudável e/ou a dependência emocional, que não é amor.
  43. Aprende a importância da genuinidade, da coerência, da integridade e da liberdade.
  44. Desenvolve objetivos de vida auto motivacionais. Busca a motivação intrínseca.
  45. Aprende que para se ser feliz é preciso sair da zona de conforto.
  46. Elabora com regularidade o diário da Gratidão. Do que é que se sente grato/a?
  47. Identifica padrões de comportamentos disfuncionais na gestão do stress crónico.
  48. Identifica a diferença entre a vergonha saudável e a vergonha tóxica.
  49. Desenvolve exercício físico e hábitos saudáveis de alimentação.
  50. Você não é o único e não está sozinho/a.

Esta lista não tem fim… Recuperar é que está a dar

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.