Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Recuperar das Dependências (Adicção)

Contra o estigma, a negação e a vergonha associados aos comportamentos adictivos. O silêncio não é seguramente a melhor opção para a recuperação; ninguém recupera sozinho.

Recuperar das Dependências (Adicção)

Contra o estigma, a negação e a vergonha associados aos comportamentos adictivos. O silêncio não é seguramente a melhor opção para a recuperação; ninguém recupera sozinho.

Compras / Gastar dinheiro compulsivamente

 

"Não são somente as pessoas com comportamentos adictivos à comida, jogo e/ou substâncias psicoactivas ilícitas que se confrontam com questões serias a nivel financeiro e económico, muitas pessoas encontram dificuldades quanto à forma como gerem e gastam (tomam decisões) os seus recursos financeiros. Gastam para além das suas possibilidades. Podem ter tendências para comprar/gastar de uma forma impulsiva, comparar preços e/ ou produtos de uma forma obsessiva e sentirem-se culpadas, por causa da sua baixa auto estima, por comprarem artigos para si próprias, ex. “Não mereço comprar aquilo para mim.” ou sentir pânico se encontrar um artigo/produto idêntico aquele que compraram no dia anterior numa loja. Este tipo de comportamentos podem não ser necessariamente adicção mas revela-se urgente, fazer alguma coisa construtiva e saudável, de forma interromper e inverter este tipo de atitudes e comportamentos disfuncionais.

A Adicção
Todavia, o limite pode ser ultrapassado, quando existe a tendência impulsiva para gastar/comprar ou a obsessão de gastar dinheiro, entra-se no domínio dos comportamentos adictivos. Tal como qualquer outra adicção existem sinais ou sintomas, tais como por ex. perda de controlo, desonestidade, sentimento de culpa ou um desejo intenso (luta/batalha interior) para manter os comportamentos e atitudes sob controlo.

 
Gastadores compulsivos (shopaholics) referem comportamentos e atitudes semelhantes a outro tipo de adicções: por ex. baixa auto estima, comprar coisas para se sentirem melhor consigo próprio, expectativas altas quanto à relação com os pais e/ou maridos/mulheres (procurar a atenção, ser o centro das atenções), dormência emocional (ex. reprimir emoções) ou falta de assertividade.
 

Addiction-nary” - Jan R. Wilson e Judith A. Wilson

http://www.debtorsanonymous.org/

Comentario: Em Portugal este fenomeno da adicção às compras ainda é desconhecido, apesar das evidências. Tem sido divulgado, quase diariamente, nos noticiários sobre o aumento do endividamento dos consumidores em Portugal acompanhando uma mudança de hábitos de consumo que reflectem uma alteração de comportamentos culturais e sociais. Todos queremos ter um apartamento, um carro ultimo modelo, um telemóvel topo de gama, as roupa de marca, um computador portátil “xpto2, uma TV, um Mp3 etc. e a lista continua. Qual é o preço desta “factura mensal alta” no nosso sistema de valores morais e na qualidade de vida?

Num relatório publicado recentemente sobre o consumo de ansioliticos e anti-depressivos, em Portugal, um dos motivos que justificam o nível elevado de consumo destes produtos, é o endividamento.

Sabemos que o endividamento excessivo, é um fenómeno transversal à sociedade portuguesa afectando quer os consumidores de fracos recursos quer os de recursos elevados. Todas classes sociais podem ser afectados por este fenómeno.

Sabemos que a publicidade ao crédito é extremamente agressiva, apelativa e desresponsabilizante. É fácil ter dinheiro. Basta ir a uma instituição de credito. Entramos com recursos precários e saímos uns “vencedores” com dinheiro na conta. O que mudou nas nossas atitudes e comportamentos perante o endividamento? Sabemos que hoje, também em virtude da utilização dos cartões de crédito, os consumidores não têm apenas dois empréstimos, o do carro e o da habitação, mas seis ou sete em simultâneo.

http://www.consumidor.pt/portal/page?_pageid=34,1&_dad=portal&_schema=PORTAL

http://www.iseg.utl.pt/

 
A adicção às compras é normalmente um tipo de adicção à excitação, as alterações bioquímicas, no cerebro (estrutura do cerebro responsavel pela recompensa), despoletadas pela antecipação, o medo e uma sensação de alivio temporário de outro tipo diferente de problemas, por ex. emoções dolorosas. Gastar dinheiro passa a ser considerado uma prioridade, que interfere com outras actividades profissionais, ludicas, familiares, e um preocupação diaria (fixação): perda do controlo

Roubar artigos nas lojas de comercio.
Numa fase agravada e avançada da adicção às compras os adictos roubam produtos em lojas. Pode-se começar por furtar algo que seja necessário, porque naquele momento não existe dinheiro disponível. Todavia o medo e a excitação (risco) são altamente estimulantes, adopta-se um “status” e um padrão adictivo (entra-se nos estabelecimentos já com o intuito de roubar algo). Os adictos a drogas e ou bulímicos após terem despendido somas significativas na sua adicção (drogas ou comida) esgotam os seus recursos financeiros e quando desejam algo roubam nas lojas. Se o roubo em lojas se torna mais do que um meio de obter as drogas ou comida será necessário tomar medidas especificas, visto despoletar comportamentos adictivos, isto se o objectivo desejado for a recuperação da adicção.

A Recuperação da adicção às compras
Para iniciar a recuperação é importante interromper o comportamento problema e a lógica adictiva. É urgente pedir ajuda profissional. Outro recurso, pode ser envolver-se em grupos de ajuda mutua e trabalhar o programa dos Doze Passos dos Alcoolicos Anónimos. É necessario enfrentar a ambivalência e “travar” o padrão repetitivo e compulsivo de gastar dinheiro.
Para recuperar é preciso optar. Será muito difícil, continuar a gastar dinheiro de uma forma compulsiva e ao mesmo tempo, não haver criterios instituidos para uma gestão correcta e responsavel dos recursos financeiros (por ex. orçamento mensal, despesas diarias, ordenado, cartão de credito). Podemos acrescentar que a adicção também afecta a relação de confiança com a família, incluindo as crianças (por ex. crises conjugais, separação e/ou divórcio, neglgênciar a educação das crianças). Se o adicto continuar a comprar coisas de forma a evitar as emoções dolorosas, será preciso identificar quais os mecanismos psiclogicos que interferem na sua autoestima, autonomia, relações de intimidade, isolamento, vergonha e sentimento de culpa. 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.